Saiba tudo sobre a diástase pós-parto e com tratá-la


A diástase pós-parto é comum e nem sempre necessita de cirurgia



A barriga flácida e disforme está entre as principais queixas do pós-parto. Muitas mulheres ficam chocadas com a textura gelatinosa e um aparente “buraco” localizado entre os músculos abdominais após o parto.

Em alguns casos, a barriga fica tão saliente que nem parece que o bebê nasceu. Essa aparência é causada pela diástase reto abdominal.

Acredite, você não está sozinha!

Até a cantora Sandy sofreu com isso e não ficou constrangida em admitir. A boa notícia é que nem sempre é preciso recorrer à cirurgia plástica para reverter o quadro.

A diástase acontece quando os dois músculos reto-abdominais se separam para dar espaço ao útero que se expande para permitir o crescimento do bebê. Às vezes, ocorre estiramento e há até mesmo o rompimento da membrana que liga esses músculos.

É esperado que, após o parto, a musculatura volte à posição normal. Lógico que, nem sempre, isso acontece, principalmente nos casos em que ocorre a diástase severa. Antes de entrar em desespero e procurar milhões de exercícios e procedimentos médicos, procure saber se, de fato, você tem diástase, porque não é só ela que deixa a sua barriga flácida após o parto.

A barriga molinha e estufada pode também ser causada por:
Músculos abdominais que se alongam durante a gestação
Diminuição da força da musculatura do abdômen após a gravidez
Redução da força do assoalho pélvico que leva à incontinência urinária
Postura. Há mulheres que assumem uma má postura na gestação e a mantêm depois que o bebê nasce

Para saber se ficou com a diástase, faça o seguinte teste:

1. Deite no chão

2. Flexione as pernas

3. Levante a cabeça e permaneça em um ângulo de 45 graus

4. Nessa posição, leve a mão ao abdômen e deslize verticalmente sobre a toda a linha central

5. Faça um movimento de percorrer toda a linha na altura do umbigo, para cima e para baixo

6. Se couberem mais de dois dedos no espaço que se forma, você tem diástase

Quer saber um pouco mais? Assista ao vídeo:





E agora, o que fazer?

Para que os músculos abdominais retornem à posição, é preciso aplicar uma combinação de exercícios e muita disciplina. Usar uma cinta elástica ajuda a manter a postura. Os médicos recomendam hidroginástica, caminhada e pilates, combinados a séries de abdominais.

Uma rotina adequada de exercícios pode dar diferença já nos primeiros dias. Para ter resultado, procure um médico e saiba se está apta a se exercitar. Questione a intensidade da atividade física que você pode aplicar e, após liberada, recorra a um bom educador físico. A fisioterapia também é excelente para acompanhar um programa de treino.

Não esqueça que mesmo uma boa e intensa rotina de exercícios só tem sucesso quando a alimentação é adequada. Nada de malhar mais para compensar as calorias em excesso. No caso da diástase, todo cuidado é pouco.





Gostou? Então compartilhe essa dica!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PUBLICIDADE

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...